A “ressurreição” da vida humana

O Domingo da Ressurreição, mais conhecido como domingo de Páscoa, é um marco na história do cristianismo, mas, infelizmente, não na vida de muitos seres humanos…

“Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em Mim, ainda que esteja morto, viverá” (João 11.25)

Foram estas as palavras do Senhor Jesus a uma Marta, cujo irmão Lázaro se encontrava morto e a quem Jesus prometia ressuscitar. Todavia, Marta nem sequer considerava essa hipótese, pensando que Ele se referia à ressurreição final de todos os que já tinham morrido. Porém, Jesus não só ressuscitou a Lázaro, como prometeu fazer o mesmo na vida de todo aquele que n’Ele cresse.

Na manhã de domingo de Páscoa, o dia em que se cumpriu o passo final da profecia da Salvação, centenas de pessoas não deixaram de marcar presença na reunião que demarcaria também o ressuscitar das suas próprias vidas. E foi, precisamente, isso que o Bispo Domingos Siqueira revelou a todos os que o escutavam na manhã do passado domingo, dia 21 de abril. Para conquistarem uma nova vida, livre de doenças, dos vícios, da dor crónica, da miséria, da ruína familiar ou sentimental, da depressão, em suma, de tudo o que tem sido fonte do seu desespero ou sofrimento neste mundo. Seguiu-se uma oração de libertação e de recebimento da vida tão sonhada que muitos desejam há anos.

Após a oração, o Bispo chamou à frente do Altar diversas pessoas que deram o seu testemunho de transformação de vida, muitos dos quais de cura do cancro, nomeadamente do pulmão, do fígado ou do intestino, provando que o Senhor Jesus continua vivo e a realizar milagres na vida de todos aqueles que depositam a sua fé n’Ele.

Após este momento, o orador prosseguiu com a mensagem presente no livro de João, capítulo 11, do versículo 25 em diante.

“E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto?” (João 11.6).

Através deste versículo, o Bispo Domingos realçou o caráter eterno que a alma humana possui, mesmo que este passe pela morte física. Segundo a Palavra de Deus, o corpo irá retornar ao pó, pois do mesmo foi formado, o espírito retornará para Deus, mas já a alma, que é quem somos na essência, a nossa personalidade, que se expressa através do corpo, essa não morre e quem decide o seu destino é cada ser humano individualmente.

São as nossas escolhas em vida que determinarão onde passaremos a eternidade e nada mais para além disso. Colher a condenação ou a vida eternas dependem exclusivamente de si e foi sobre este tema que o orador se debruçou, já que foi esta a proposta deixada pelo Senhor Jesus, a oportunidade de salvação, de redenção da alma, mediante o arrependimento, já que Jesus morreu para isso mesmo, para nos salvar da condenação eterna e da morte espiritual. Pois, os “mortos” para Jesus são aqueles que se entregaram a uma vida de pecado e estão longe do arrependimento.

Em jeito de conclusão, o Bispo deixou o alerta para muitos que procuram a Jesus apenas por interesse, a fim de que os seus problemas sejam resolvidos, ignorando o mais importante, a sua Salvação. Para estes, é importante que se lembrem o Senhor Jesus Se levantou dentre os mortos, ressuscitou e venceu a morte para nos dar a vida, não só a física, como a eterna! Por isso, chegou o momento de você se reerguer e de lutar para conquistar a vida que Deus deseja para si!

Galeria de Fotos

2019-04-22T16:09:50+01:00
Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Aceitar