E se eu tiver mais um dia de vida?

Quanto tempo mais teremos de vida neste mundo? Uma hora, um dia, um mês?

Ah… como seria bom, se vivêssemos sempre pensando que a vida é breve!

Lembrar que somos frágeis, limitados e dependentes de Deus nos faz refletir muito em nossas escolhas do dia a dia.

Na Bíblia, o tempo de vida do ser humano é comparado a um dia, de tão rápido que passa. Essa verdade é ilustrada por uma planta no campo, que pela manhã floresce verde, bonita e vigorosa, mas à tarde murcha e seca, como diz:

“De madrugada floresce e cresce; à tarde corta-se e seca.” Salmos 90.6

Então, que aprendamos a meditar e considerar que numa fração de segundos, o nosso fôlego de vida pode acabar. Essa realidade que existe para todos, assusta ou alegra você?

Isso significa que, cedo ou tarde, estaremos diante do Senhor Jesus para prestar contas a Ele de tudo que fizemos ou deixamos de fazer, que falamos ou deixamos de falar…

Seremos inquiridos de todas as oportunidades que tivemos, de todas as instruções que recebemos, de todo bem que nos fizeram…

Compreendendo isso, Moisés pediu para alcançar a sabedoria de entender que tudo, seja bom ou seja ruim, passa rápido. Tão rápido que, às vezes, não nos damos conta. Por isso, é preciso estar atento e consciente da efemeridade da vida.

Então Senhor, como Moisés, também te pedimos: nos ensine a contar os nossos dias! Não de forma aritmética, mas nos ensine a viver como se fôssemos ir ter contigo hoje ainda!

Porque pensar que hoje pode ser o nosso último dia de vida, elimina o desejo de gastar o tempo com futilidades, com picuinhas, com aborrecimentos e tantas outras coisas inúteis.

Nos leva a repensar em como temos tratado as pessoas e que tipo de sentimento e pensamento abrigamos dentro de nós.
O que você faria se esta fosse sua última hora de vida?

Somos todos iguais?

Pela lei, sim, mas na prática não é bem assim. Tratamentos desiguais acontecem a toda hora. Entenda
- Núbia Siqueira