A Profecia da Maldição

Pois seja maldito o enganador que, tendo macho no seu rebanho, promete e oferece ao Senhor o que tem mácula; porque Eu Sou Grande Rei, diz o Senhor dos Exércitos, o Meu Nome é temível entre os gentios. Malaquias 1.14

O Altíssimo e Eterno Deus Se apresenta para o “ofertante enganador” como O Grande Rei, Senhor dos Exércitos, cujo Nome é Temível até entre os gentios, para mostrar Sua ira contra os servos enganadores.

Há mais chance de salvação da alma para os não-servos do que para os servos enganadores. O enganador tem zombado do Grande Rei, Senhor dos Exércitos, cujo Nome é Temível com desdém, desprezo e de forma fraudulenta. Por conta disso, ele já está condenado à maldição do Lago de fogo e enxofre. Salvo se ele se arrepender, enquanto está vivo.

Durante Seu ministério terreno, o Senhor Jesus condenou os enganadores escribas e fariseus hipócritas (Mateus 23).

Na Igreja Primitiva, início da época da graça, o mesmo espírito do engano se manifestou em Ananias e Safira. Eles não temeram a Deus, mesmo sabendo da ressurreição do Senhor Jesus, e mentiram ao Espírito Santo.

Conclusão: não tiveram tempo de se arrepender e morreram de forma instantânea. Quer dizer, sob a era da graça cumpriu-se a profecia da maldição (Jeremias 48.10 e Malaquias 1.14) sobre os enganadores.

Também o apóstolo Paulo advertiu os servos da Igreja Primitiva quanto ao participar da Santa Ceia:

Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem. 1 Coríntios 11.29,30.

Significa dizer que muitos “servos” indignos comem e bebem para a própria condenação (maldição). Eis aí a razão de haver entre eles muitos fracos, doentes e até os que dormem (morreram).

Por que a profecia da maldição não tem se aplicado nos dias atuais como foi na Igreja Primitiva? Enganam-se os que assim têm pensado. Avalie o estado espiritual dos servos atuais. Pastores se suicidando, pastores com depressão, ex-pastores, ex-bispos, ex-diáconos, ex-obreiros, ex-membros, enfim, afastados do Altar ou desigrejados. Quantos você conhece que estão nesta situação?

Em todo o planeta, por onde vou, tenho encontrado mais desigrejados do que igrejados. Por quê? Porque insultaram ao Deus Altíssimo, Senhor dos Exércitos e Grande Rei com suas ofertas imundas e seus serviços fraudulentos. Trocaram o Primeiro Amor pelo amor ao mundo e aos seus encantos.

Poucos têm sobrado como os servos bons e fieis…

Fonte: Bispo Macedo