A importância da parceria no casamento

Muitas pessoas se assustam quando ouvem a palavra submissão. Entenda o real significado dela e por que ela é positiva para o relacionamento

Se existisse uma lista das palavras mais odiadas do mundo, com certeza submissão estaria nela. Isso porque, ao longo dos anos, ela ganhou um significado diferente do real.

Para muitas pessoas, submissão, sobretudo no casamento, significa aceitar qualquer tipo de tratamento e maus-tratos. Mas, na verdade, a essência da palavra não tem a ver com que o seu Autor, Deus, quer que as pessoas apliquem nos relacionamentos.

No livro Casamento Blindado, os escritores e palestrantes Renato e Cristiane Cardoso explicam o verdadeiro significado de submissão. “Não é ser capacho do marido. Na Bíblia, a palavra está relacionada a humildade, brandura, cumplicidade, confiança na liderança, maleabilidade, docilidade e respeito. É o contrário de ser desafiadora, rebelde, inflexível e resistente. A mulher precisa de certas qualidades para trabalhar em parceria com o marido, a quem deve respeitar como líder.”

Um cônjuge complementa o outro. No livro Efésios, da Bíblia, o apóstolo Paulo explica qual a função esperada do marido, que não é ser superior à esposa. “Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos. Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela.” (Efésios 5. 23-28).

Tudo na Obra de Deus tem organização e no casamento não é diferente. Josenilda Andrade da Silva Souza, empresária, de 44 anos (foto a esq.), conta que ouviu muito na infância que não poderia ser dependente do homem.
“Minha criação foi muito conturbada. Meu pai maltratava minha mãe. Tive algumas relações e em uma delas tive um filho, mas me separei. Eu trabalhava duro para sustentá-lo. Vivi uma fase difícil e tive depressão. Cheguei a ponto de tentar me matar. Conheci meu marido por meio de amigos em comum e nos apaixonamos. Depois de alguns meses, entrei no casamento com a bagagem e o pensamento de que não precisaria de homem para ser feliz”, conta.

Na nova união, muitos problemas surgiram por causa da ausência de parceria entre eles. “Eu percebia que ela não confiava em mim e nas minhas decisões. Isso gerava uma insegurança muito grande em mim e brigávamos muito. Só que eu também não sabia como ser líder em casa, não ouvia a opinião dela e reagia da mesma forma que ela”, revela Ismael José de Souza, de 45 anos.

Vencendo pré-conceitos
Dez anos se passaram e um dia ela se deparou com um programa da Universal. “Estava com câncer e muito triste por não nos acertarmos. Decidi conhecer a Igreja e, por meio das palestras, desenvolvi a fé sobrenatural. Fui curada e passei a entender o real significado do casamento”, diz a empresária.

Quando ela tirou do pensamento que submissão não significa humilhação, tudo mudou. “Ao ver minha mudança, ele aceitou meu convite para ir à Terapia do Amor. Aprendemos o papel do homem e da mulher. Hoje, nosso casamento é abençoado e ajudamos outros casais”, complementa Josenilda. Eles apresentaram o matrimônio no Altar em 12 de outubro de 2017, durante a Celebração dos Casamentos.

Portanto, inclua seu parceiro em suas decisões e não se diminua perante ele, mas o apoie e respeite-o diariamente. Isso é submissão.

Fonte: Universal

Artigos Relacionados

Ler Mais Artigos

Terapia do Amor

The Love School

Casamento Blindado

Namoro Blindado

2019-03-11T10:59:22+00:00
Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Aceitar