Você sabe o que o seu filho ou filha anda fazendo na Internet?

Se você não a conhece, com certeza seus filhos sim. Ela está no best seller mundial “Alvin e Os Esquilos”, no romance adolescente “Fica Comigo”, na comédia “Juntos e Misturados” e é a estrela de várias séries da Disney, inclusive a muito popular “No Ritmo”, adorada por crianças brasileiras.

Bella Thorne é famosa entre os pequenos pelas obras acima e pela grande interação nas redes sociais. Nas últimas semanas, a moça de 21 anos tem ganhado fama também entre os adultos, após declarar que vive um triângulo amoroso, e postar fotos dela seminua nas redes sociais.

A atriz tem mais de 18 milhões de seguidores somente no Instagram, sendo a maioria formada por crianças e adolescentes. Ali ela posta, entre outras coisas, fotos e vídeos com seu namorado, o roqueiro Mod Sun (31), e com sua namorada, a youtuber Tana Mongeau (20). Tana, por sua vez, é famosa por vídeos que aparece seminua com duas amigas, falando sobre suas experiências sexuais.

Péssimos exemplos

Embora muitos adultos não percebam, a influência das redes sociais cresce cada vez mais entre os mais jovens. Uma pesquisa realizada pela Amdocs (empresa americana especializada em serviços online de comunicações) mostra que o jovem brasileiro é o mais dependente da internet, sendo que a principal atração online é a rede social. Mais da metade dos pesquisados acreditam que a internet os tornam “mais espertos e legais”.

Todavia, é ali nas redes sociais que famosos como Bella Thorne, Justin Bieber e Miley Cyrus têm mais adeptos. Imagine seu filho, criança, assistindo às revelações sexuais de Thorne, à violência de Bieber ou ao uso de drogas de Cyrus. O que eles vão aprender?

O papel dos pais

“Todos nós nos moldamos a algum modelo ou padrão ao qual aspiramos”, explica o Bispo Renato Cardoso, em seu blog. “É assim que o ser humano funciona. Desde crianças, aprendemos a filmar tudo e todos ao nosso redor. E os modelos e padrões mais impactantes acabaram nos programando para segui-los”.

O problema é: crianças não são capazes de escolher os melhores exemplos a seguir, pois não têm maturidade para isso. Vide a popularidade dos “ídolos” citados acima.

O papel dos pais está justamente em acompanhar o que as crianças têm feito na internet e a quem têm admirado. É necessário controlar o conteúdo consumido por seus filhos! Os pequenos vão gostar? Provavelmente, não. Mas não importa. Eles ainda não têm capacidade de decidir o que é melhor para si mesmos.

“Nós somos responsáveis por proteger os nossos filhos do mal desse mundo. Não podemos fazer isso 100% do tempo, pois é impossível. Mas o possível, temos que fazer”, afirma o Bispo Renato. “Uma das maiores responsabilidades dos pais é impor limites, pois crianças e adolescentes não têm nenhum senso disso. Você sabe o que o seu filho ou filha anda fazendo na Internet?”

Conheça a Universal mais próxima da sua casa.

Fonte: Universal.org

2018-11-09T16:20:30+00:00