Você estabeleceu objetivos para 2019 que ainda não se cumpriram?

Fonte de Imagem: Universal.org

Se sim, isso não deve ser motivo para desistir do que ainda não foi conquistado. Entenda

Quando o ano de 2018 chegou ao fim, você estabeleceu objetivos para este ano de 2019 que não se cumpriram ainda?

Segundo o psicólogo Roberto Debski, um dos motivos pelo baixo índice de cumprimentos de resoluções está no fato de que muitas pessoas possuem o hábito de desistir da meta traçada quando o primeiro obstáculo aparece.

“É muito comum as pessoas elaborarem metas e terem desejos, geralmente no final do ano, pois é uma fase simbólica e de mudanças. Porém, quando elas fazem isso de uma maneira não aprofundada, em poucas semanas, as metas iniciais são esquecidas e deixadas de lado e a procrastinação volta a acontecer”, explica o especialista.

Roberto ainda reforça a importância tanto para a saúde mental como emocional de cultivar propostas e objetivos. “É muito importante ter metas na vida. Elas nos encaminham para o futuro. As pessoas que não têm mais sonhos, metas e nem futuro se tornam presas ao passado e isso é uma das raízes da depressão”, alertou ele.

Final do ano

Faltam menos de 170 dias para o ano de 2019 acabar. A analista comportamental Mariza Baumbach afirma que isso, porém, não deve ser motivo para se desistir do que ainda não foi conquistado. Ela reforça que é importante revisar as metas não cumpridas e se organizar para conquistá-las.

Além disso, Mariza observa que é sempre tempo para estabelecer novos objetivos. “Algumas questões são importantes e a gente precisa ter uma dedicação efetiva para cumprir essa meta e chegar até o final dela. Então, ela precisa ser mais específica, porque quanto mais clara for, mais fácil de ser alcançada”, completou ela.

Mariza ainda dá outra sugestão: é preciso também agir aos poucos. Pequenas ações ao longo de todos os dias vão fazendo muita diferença. É preciso definir aonde se quer chegar e cultivar uma mentalidade mais positiva. “Sempre é tempo de iniciar uma meta”, finaliza ela.

Metas a curto prazo

O escritor Renato Cardoso alerta que a maioria das pessoas não consegue alcançar metas a longo prazo porque falham em alcançar as de curto prazo.

“Toda meta, por mais longo o seu prazo, é atingida por uma série de mini-metas alcançadas em direção à meta maior. Se você quer perder 10 quilos nos próximos 3 meses, por exemplo, uma mini-meta é não comer a sobremesa no almoço de hoje. Outras mini-metas seriam usar as escadas em vez do elevador, e não repetir o prato no jantar. Quer dizer, você só tem que se preocupar em alcançar a sua próxima mini-meta. E depois a próxima. E assim por diante”, esclarece.

Renato destaca que, obviamente, é importante ter grandes metas. Sonhar, ter o céu como alvo, pensar grande. Mas, não podemos deixar de fazer o que está agora diante de nós: o próximo passo, aquele telefonema, aquele e-mail, separar aqueles 50 reais para a dívida de 5 mil.

“Não perca de vista sua grande meta. Mas faça-lhe um favor: se preocupe apenas em alcançar a próxima mini-meta que está diante de você. E repita o processo até que a grande meta seja alcançada”, conclui.

(*) Com informações e entrevistas do programa Brasil Notícias da Rede Aleluia e Rádio Record

Conheça a Universal mais perto de si.

Fonte: Universal.org