Viva com propósito

Embora pareça que somos donos de nós mesmos, nem sequer temos autonomia sobre o que é mais primordial: o dia que iremos partir deste mundo. Entenda

As pessoas fazem tantos planos para o futuro, investem com intensidade no amanhã, e projetam sonhos e metas, como se estivessem no controle de suas vidas.

Muitas não consideram que hoje estamos bem e amanhã podemos não estar, porque, embora pareça que somos donos de nós mesmos, nem sequer temos autonomia sobre o que é mais primordial: o dia que iremos partir deste mundo.

Quem já perdeu de modo inesperado um familiar ou amigo, sabe bem sobre a brevidade da vida e o quanto ela pode nos surpreender. Penso que o cemitério é o lugar que mais exemplifica isso, porque, muitos ali julgavam-se tão saudáveis para morrer, tão indispensáveis na sua família e no seu trabalho para ausentarem-se por um único dia. Outros tinham amizades com tanta conexão que achavam que eram companheiros inseparáveis.

Quanto ilusão, não é mesmo?

A morte iguala todos os homens, mas a maneira como decidimos viver nos separará eternamente.

Por isso, por que não refletir sobre quanto tempo mais viveremos neste mundo? Mais quantos verões ou quantos invernos iremos contemplar? Qual será o dia que despediremos de um ente querido e não o veremos mais, pela partida dele ou nossa? Qual será o nosso último dia de vida?

Há quem pense nesse tipo de assunto, e então, decida curtir a vida no sentido de aproveitar as diversões e prazeres ao máximo. Pois, lembrar da efemeridade da vida faz a maioria dos seres humanos focar e apegar-se ao que é terreno e não ao que é celestial.

Mas, segundo as Escrituras Sagradas, o que faz valer o alto privilégio de viver não é realizar as nossas vontades, e sim viver para agradar a Deus, já que, certamente, iremos nos encontrar com Ele para prestar contas de cada dia que nos foi concedido. Vive-se bem quando se vive para a glória de Deus.

“Portanto, quer vocês comam, quer bebam, quer façam qualquer outra coisa, façam para a glória de Deus.” 1Co 10.31

Vou explicar melhor esse ensinamento bíblico. Tudo que pensamos, fazemos ou desejamos ser ou ter deve honrar ao nosso SENHOR. Se naquilo que é mais trivial e que fazemos com tanta frequência, como comer e beber, precisamos glorificar a Deus, quanto mais as outras questões da vida.

Temos que ter em mente que, desde as atitudes mais insignificantes do dia a dia, até as mais importantes, tudo deve promover o bem, a honestidade, a boa consciência, o caráter, a justiça… enfim, atribuir louvor Àquele a Quem pertence a Terra e tudo que existe nela, inclusive nós.

Portanto, a legislação que vigora na Lei Divina é: se uma ação nossa, por menor que seja, não edifica, não encoraja, não abençoa o outro, logo, ela deve ser completamente rejeitada.

Essa vida não é tudo, mas a que vem a seguir, sim. No porvir, o sofrimento ou o descanso serão eternos. Se aqui, tudo é fugaz e passageiro, lá será permanente para sempre.

Aprendamos todos a viver com o propósito de honrar a Deus, porque, isso definirá a entrada num futuro que será, realmente, nosso perpetuamente.

O grande EU SOU

A extensão do conceito do Nome de Deus vai além do que o entendimento humano alcança.
- Núbia Siqueira