Uma lição espiritual que podemos aprender com a pesca

Fonte de Imagem: Universal.org

Muitas vezes, os demônios utilizam a mesma técnica dos pescadores para pegar as pessoas distraídas

Você já pescou alguma vez? Se você já passou por essa experiência, sabe que essa não é uma atividade simples. Ela exige muita paciência e técnica.

Por exemplo, muitos novatos, logo que sentem o peixe abocanhar a isca, puxam logo o anzol. Mas, pescadores mais experientes ensinam que se deve afrouxar a linha, deixando o peixe confortável por um período.

Como fisgar um peixe?

Primeiramente, o peixe vê a isca. Interessado naquele objeto atraente, ele se aproxima e o abocanha (foto acima). Entretanto, ele não sabe que já engoliu o anzol (uma espécie de gancho). Já é tarde para aquele peixe, ele foi fisgado.

Em seguida, o pescador solta a linha, em vez de puxar. Porque, assim, o peixe não estranha o movimento brusco e mantém o anzol dentro de si. No final, quando o peixe menos espera, o pescador retorna a linha.

Os demônios fazem a mesma coisa

Muitas vezes, os demônios utilizam essa mesma técnica para pegar as pessoas distraídas.

Primeiro, eles mostram o pecado com uma aparência muito boa (o que chamamos de “tentação”). Eles vão alimentando aqueles pensamentos, que se tornam emoções, que são, em outras palavras, desejos do coração.

Então, a pessoa se deixa levar pelo que está vendo. E “abocanha” o pecado.

No começo, nada de ruim acontece. Aparentemente, ela continua frequentando as reuniões na igreja, mantém suas orações. Contudo, ela já está condenada ao inferno e não percebe.

Como o diabo não puxa logo a “linha”, ela vai alimentando aquele pecado com o passar do tempo. Por fim, os espíritos malignos fazem o movimento final, arrastando a pessoa para a perdição eterna. Não tem mais volta.

Deus está lhe avisando: cuidado

O profeta Jeremias, inspirado por Deus, deixou um alerta:

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? ” Jeremias 17.9

Sobre esse trecho bíblico, o Bispo Edir Macedo esclarece em suas anotações: “Na realidade, ninguém, verdadeiramente, sabe o quanto o coração é perverso. Segui-lo é o mesmo que seguir as orientações de uma pessoa perversa, cujo nível de crueldade é completamente desconhecido”.

Por isso, não conduza a sua vida segundo a sua própria vontade. Pelo contrário, escolha viver de acordo com o desejo de Deus. Abra mão do seu “eu” e faça aquilo que o Espírito Santo deseja – mesmo que seja contra a sua vontade.

Se você deseja esse avivamento espiritual, participe dos encontros que acontecem no Templo Maior ou em uma Universal mais próxima de sua casa.

Conheça a Universal mais perto de si.

Fonte: Universal.org