Sinagoga de Satanás

“E ao anjo da igreja em Esmirna, escreve: Isto diz o primeiro e o último, que foi morto, e reviveu: Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás. Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte.” Apocalipse 2.8-11

Ao contrário de Éfeso, a igreja de Esmirna aparentemente não apresenta obras, mas também não é censurada em qualquer falta.

É provável que as obras tenham corrompido o coração dos cristãos de Éfeso, a ponto de relaxarem no primeiro amor.

Como nosso amado Senhor reconheceu os gemidos da igreja em Esmirna, assim também reconhece as lutas que Seus servos passam a cada dia.

Tribulações, pobreza e acusações graves dos falsos judeus serviram para manter a fé ativa daqueles cristãos.

Creio que Ele tem permitido Seu povo vivenciar tribulações de toda sorte com o mesmo propósito. Afinal de contas, tudo coopera para o bem daqueles que são dEle, não é mesmo?

Sua rejeição àqueles judeus era tal que considerou o lugar sagrado deles como sinagoga de satanás. E não seria essa a visão dEle em relação a muitas “igrejas” supostamente cristãs?

Mas para os nascidos do Espírito não há o que temer. Prisões, tribulações ou quaisquer provas que se venha passar nos desertos da vida fazem parte da jornada rumo à Terra Prometida.

Fique firme e seja fiel porque isso, cedo ou tarde, vai passar.

O prêmio?
A coroa da vida.

Fonte: Bispo Macedo