Primeiro o fogo, depois a chuva!

A mudança tem uma ordem:
Primeiro, o FOGO (o restabelecimento da Presença de Deus).
E depois, a CHUVA (a solução do problema humano, material).

Aos olhos naturais, o grande problema de Israel era a seca, a falta de chuva, a falência financeira, que castigava o povo havia três anos e meio.

Mas, na realidade, a falência financeira foi determinada pela falência espiritual, pois o povo estava dividido entre o Deus Vivo e Baal, quando sabemos que não dá para servir a dois senhores.

Por esse motivo, depois de sacrificar ao Deus Vivo, Elias não clamou pela chuva primeiro, e sim pelo Fogo, que é a referência da Presença de Deus, e o que realmente faltava para o povo de Israel. Assim, todo o resto seria consequência, inclusive a chuva, ou seja, a solução do problema exterior!

Portanto, não insista em continuar fazendo força para sair de um buraco aqui fora, quando há um buraco maior dentro de você!

E essa é a proposta desta Fogueira Santa: trazer o FOGO (Deus dentro de você), depois a CHUVA!

Deus o abençoe sobremodo!

Colaborou: Bispo Guaracy Santos

Fonte: Bispo Macedo

 

 

Sinal de Deus

O uso de aliança não significa, necessariamente, lealdade no casamento.
- Bispo Edir Macedo

2018-11-29T11:12:38+00:00
Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Aceitar