Primeira reunião da UNP no pós pandemia

Foi no dia 9 de agosto que teve lugar a primeira reunião dos voluntários da UNP que desde março não tinham a oportunidade de se reunir

Com duas reuniões realizadas, a primeira após a reunião das 10h no Templo Maior e a segunda às 17h, existiam vários assuntos pendentes, nomeadamente, em relação à evangelização realizada à porta dos estabelecimentos prisionais.

Familiares ou amigos dos reclusos, em suma, todos os visitantes são habitualmente alvo de uma abordagem, seguida de palavra de conforto por parte dos voluntários da Universal nas Prisões. Todavia, desde que a pandemia de covid-19 foi decretada, que vários cuidados no que respeita o contacto social foram implementados.

Coisas simples como a proximidade física ou colocar a mão na cabeça das pessoas para a realização de uma oração passaram a ser proibidas, por isso, novas regras e formas de abordagem teriam que, obrigatoriamente, ser definidas.

Para além disso, foi também mencionada a importância de todos os voluntários estarem em oração e jejum, para que a Igreja resista contra o flagelo que tem assolado o mundo.

O pastor Francisco Silva, responsável da UNP em Portugal continental e ilhas, alertou a todos sobre a necessidade de compreenderem que hoje somos nós que representamos a Cristo e, como refere 2Co 13.8: “Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade.”

Então, nós representamos a verdade, Jesus Cristo, e, como tal, prevalecemos contra todo e qualquer mal. O mal não pode prevalecer contra nós, pois o mal só prevalece contra aquele que está a pregar a verdade, se o mesmo estiver a viver na mentira, no erro, no pecado. A promessa cumpre-se na vida daqueles que falam, vivem e representam a verdade. Ou seja, que vivem uma vida justa, reta e pela fé diante de Deus.

Outros assuntos foram tratados nestes encontros, como o trabalho de apoio às famílias dos reclusos e a intenção, pela fé, de cada vez mais prisões em território nacional serem apoiadas pela UNP. Foi um dia muito especial, cuja colocação em prática de tudo o que foi tratado fará com que muitas mais almas sejam ganhas, tanto no interior das prisões como no seu exterior.