Primeira doação de sangue de 2020 na Universal

Não existe substituto para o sangue humano e é por este motivo que a sua disponibilidade depende, inteiramente, da boa vontade dos dadores…

O sangue humano é utilizado para o tratamento de diversas patologias, sendo o cancro uma delas. Todavia, como sucede um pouco por todo o país, existe sempre uma necessidade urgente de manter o nível de doações constante, porque, por exemplo, o sangue recolhido no serviço de Imunohemoterapia dá apenas para tratar 39% dos casos do IPO de Lisboa. Desta feita, o lema de que “dar sangue é dar vida”, ganha novos contornos, tornando sublime o ato que cada dador tem ao se deslocar para doar parte de si de forma voluntária e gratuita.

TEMPLO MAIOR

Foi nas instalações do Templo Maior que decorreu a mais recente doação de sangue, organizada pela Obra Social da IURD, em parceria com o Instituto Português de Sangue e Transplantação (IPST). Logo a partir das 9h da manhã, várias pessoas se dirigiam para a sede da Igreja Universal em Lisboa, pois tinham recebido o apelo que várias vezes por ano é feito pelo IPST à IURD e aos seus membros, como confirma Sandra Perpétuo, uma das organizadoras desta iniciativa:

“Todos os anos, no final do ano, o IPST já faz um agendamento e conta com a nossa colaboração. Envia uma previsão dos dadores que necessita e também das datas em que pretende fazer a recolha. Chegamos também a receber pedidos de hospitais para que tanto membros como obreiros façam doações específicas.
É muito importante dar sangue, pois, de facto, estamos a salvar uma vida. muitas pessoas talvez não pensem nisso, pois nunca afetou um familiar seu direto, mas existem muitas pessoas mesmo a necessitar de sangue, daí a importância de ser dar este ‘passo de coragem’, que, na realidade, não é nada doloroso”, confirma.

Para além da recente doação que decorreu no Templo Maior, estão previstas uma no Porto, a 15 de fevereiro e outras duas a 6 e 27 de agosto, no Templo Maior! Não perca esta oportunidade de ajudar quem mais precisa!

Harsa Maugi

“É a terceira vez que estou a participar neste tipo de iniciativa. Considero bastante importante este tipo de ato, nomeadamente porque estamos a dar uma parte de nós para salvar vidas. Felizmente, não tenho ninguém próximo que alguma vez tenha necessitado de uma doação, mas faço-o na mesma, mantendo uma rotina diária saudável para que possa continuar a ser dadora!”

Lisboa

Bernadete Barbosa

“Considero muito importante participar neste tipo de eventos promovidos pela Universal. Já sou uma dadora habitual, mantenho hábitos saudáveis e, graças a Deus, tenho gozado de uma perfeita saúde, que é algo que me permite continuar como dadora. Para mim, dar sangue é dar vida, por isso, é uma honra e faço sempre que preciso! Tenho uma cunhada que já precisou e isso validou ainda mais este ato.”

Lisboa

Dezana Souza

“Já sou dadora habitual de sangue e o que me leva a fazê-lo é considerar que se trata de um gesto de amor, de ter a capacidade de ajudar outra pessoa, que possivelmente nem conhecemos, mas que vai, de alguma forma, beneficiá-la. Se algum dia tivesse a oportunidade de conhecer uma das pessoas que beneficiou da minha dádiva gostaria de o fazer, pois é um elo que se criou, mesmo que eu não a conheça. É muito gratificante!”

Alvalade

Mariana Souza

“Para mim este tipo de iniciativa é muito importante, pois doar sangue é doar vida! Há muitas pessoas que precisam e, tendo essa oportunidade, estamos, na prática, a ajudar outras pessoas, é uma ação de amor ao próximo! Mas, não é apenas isso, pois estamos a praticar o que aprendemos com o exemplo do Senhor Jesus, que é dar amor. Hoje em dia preocupo-me muito com os meus hábitos e alimentação, justamente para o meu sangue seja saudável para outra pessoa. Gostaria muito de um dia conhecer alguém que precisa e com quem o meu sangue fosse compatível, seria muito gratificante poder ajudar!”

Moita