Posição do servo do SENHOR

Não há a mínima chance de se fazer a Vontade de Deus sem o sacrifício da própria vontade.

Como servir ao Senhor e a si mesmo ou servir a si mesmo e ao Senhor?

Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. Mateus 6.24

Essa Palavra do SENHOR não permite qualquer dúvida quanto à posição de quem realmente é servo ou quer servir a Deus.

…porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro

Significa dizer que: ou o servo ama a Deus e se dedica a Ele com todas as suas forças, de todo o seu entendimento e de todo o coração, e, automaticamente e na mesma proporção inversa, odeia a si mesmo, o mundo e a Mamom OU tal servo odeia o Senhor Jesus Cristo, ama e se dedica a si mesmo e a Mamom.

Justamente por causa do conflito a quem servir é que se faz necessário o sacrifício.

Quem sacrifica para Deus, serve a Deus e despreza a si mesmo e o diabo.

Em resumo, nenhum servo pode ficar neutro entre servir a um ou ao outro senhor. Somente o sacrifício tem o poder de definir a quem se serve, a Deus ou a Mamom.

Qualquer pessoa pode se achar serva de Deus e até defender sua posição diante dos homens, mas é o sacrifício (serventia) dela que testemunhará perante Deus a quem ela serve.

Um membro da Igreja do Senhor que é empresário, um(a) empregado(a) ou exerça sua profissão de advogado, médico, professor ou qualquer outra atividade, desde que seja servo de Deus, antes de considerar-se “membro da denominação cristã”, na realidade, ele pertence ao Corpo da Igreja do Senhor Jesus Cristo. E como membro deste Corpo, primeiro ele deve toda a sua vida e serviço ao Cabeça deste Corpo.

Assim sendo, toda a sua vida (uma célula do corpo) prioriza o benefício do Corpo inteiro (Igreja/Reino de Deus). Muito além da família, da profissão, dos sonhos e projetos pessoais, enfim, tudo, tudo tem que focar para a serventia e glória do Cabeça do Corpo.

Portanto, quer comais quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus. 1 Coríntios 10.31

O vendedor “cristão”, por exemplo, objetiva ganhar dinheiro para si e conforto da sua família. Diante disso, ele deve obrigações ao seu patrão, à sua família, a si mesmo e, por último, à sua denominação religiosa. Porém se, de fato e de verdade, é servo de Deus, primeiro ele deve serventia ao Senhor da sua alma. Significa dizer que ele não apenas devolve o Dízimo a Deus, mas ele mesmo é o próprio Dízimo do Senhor no seu lar, no seu trabalho e na sua igreja.

Assim diz o Senhor: Lembro-Me de ti, da piedade da tua mocidade, e do amor do teu noivado, quando Me seguias no deserto, numa terra que não se semeava. Então Israel era Santidade para o Senhor, e as Primícias da Sua novidade… Jeremias 2.2,3

Medite bem sobre a sua condição diante do Todo-Poderoso.

Fonte: Bispo Macedo