Persevere pelos seus objetivos

Aprenda a persistir com Deus em prol dos seus sonhos

As Escrituras Sagradas relatam que o Senhor Jesus, certa vez, contou aos apóstolos a Parábola da Viúva Persistente – também denominada Parábola do Juiz Iníquo: “(…) Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem. Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário. E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens, todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito.” (Lucas 18.2-5).

O Senhor Jesus também salientou a persistência da viúva: “E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz. E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?” (Lucas 18. 6-8).

O que o Mestre quis mostrar por meio desta parábola? Ele destacou que todos deveriam perseverar sempre e nunca esmorecer. Essa mensagem deixa claro que o Senhor Jesus jamais falha com aqueles que O buscam e O servem. Em nenhum momento a viúva persistente pediu vingança contra seus inimigos. Ela apenas buscava a justiça contra quem a afrontava, pois sabia que uma hora seria atendida. Apesar de ter várias vezes recorrido ao juiz e recebido respostas negativas dele, ela manteve sua Fé e sua perseverança na oração.

Lições

Essa parábola nos mostra quatro lições. A primeira é que não devemos desfalecer em meio às adversidades. Ainda que a resposta não venha, devemos fazer como aquela viúva: não desanimarmos mas, ao contrário, buscarmos forças na oração para lutar pelo que queremos.

A segunda é que não devemos abrir mão da justiça. Na parábola, vimos que o juiz não julgou logo a causa da viúva, mas ela confiou que cedo ou tarde isso aconteceria.

Outro ensinamento é não olhar para o tamanho da dificuldade. No exemplo contado por Jesus, a viúva não tinha alguém para ajudá-la, mas não se ateve a esse obstáculo.

Já a última lição e, tão importante quanto as demais, é a necessidade de agir pela Fé. A viúva foi considerada insistente porque via, pela Fé, o resultado de seu pedido antes mesmo que ele se concretizasse.

Ela perseverou

Essa história lembra a da celebrante social e cerimonialista Jerusa Vieira da Silva, (foto abaixo) de 39 anos. Ela frequenta a Universal há 15 anos e há cinco anos começou a participar das palestras da Nação dos 318, realizadas às segundas-feiras. O objetivo dos encontros é aprender, por meio da Palavra de Deus, a verdadeira prosperidade prometida pelo Criador.

Persevere pelos seus objetivos

Foi nesses encontros que Jerusa recebeu a visão de se tornar uma empreendedora. Ela conta que conseguiu abrir uma loja de peças automobilísticas logo que começou a participar das palestras. Contudo, como não seguia a direção de Deus para gerenciá-la, foi à falência.

“Eu participava das reuniões, mas ainda estava aprendendo a manifestar a Fé pela vida profissional.”

Jerusa relata que sempre gostou de trabalhar com doces e, por isso, decidiu investir no ramo. No começo, vendia brigadeiros na rua.

Depois, começou a fazer bolos caseiros e temáticos.

Mas, aos poucos, Jerusa começou a desejar a ampliação de seu negócio. Seu sonho passou a ser uma empresa na área de eventos. Ela sabia que se persistisse na busca pela direção de Deus poderia alcançá-la. “Cada vez que ouvia as palestras ficava com mais vontade de persistir”, ressalta.

Então, pela Fé perseverante, ela abriu sua empresa que, atualmente, presta assistência a noivas e debutantes. “Graças a cada direção que recebo, tenho realizado o meu sonho e sei que vem muito mais pela frente”, conclui.

Faça como Jerusa e participe da Nação dos 318.

Fonte: Universal.org