Perfeito na Fé!

Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o SENHOR a Abrão, e disse-lhe: Eu Sou o Deus Todo-Poderoso, anda em Minha presença e sê perfeito. Gênesis 17.1

Como ser perfeito, se não existe ninguém perfeito?

Pensando na resposta a essa pergunta e meditando em Abraão, entendi que só é possível ser perfeito quando a fé obediente é separada de todo e qualquer sentimento.

Como todo ser humano, Abraão tinha fraquezas, sentimentos, humanidade, e, por isso, todas as vezes que misturou a fé obediente com o sentimento, teve problemas.

Abraão misturou o sentimento familiar com a fé obediente, quando saiu de Harã permitindo que Ló o acompanhasse. Deus o havia mandado sair da terra, da casa de seu pai e da sua parentela, mas, certamente, ao deixar Ló ir junto, ele atrasou o plano de Deus em sua vida, pois Deus teve de esperar que eles se separassem para lhe aparecer e mostrar a terra de Canaã.

Depois, por causa da fome, Abraão foi para o Egito por conta própria. Deus havia dito para ele percorrer a terra, mas não disse para descer ao Egito. Chegando lá, pelo medo de morrer, ele disse que Sara era sua irmã, e ela foi levada para o harém de Faraó, por isso, Abraão amargou longos meses longe da sua amada esposa. E, se não fosse a ação de Deus, em proibir que ela fosse possuída, Abraão teria sentido a dor de vê-la nos braços de outro homem! (Gênesis 20)

Por último, depois de dez anos em Canaã, o sentimento de agradar a esposa, o fez ouvir a voz de Sara e possuir a serva Hagar, gerando assim uma nação que sempre teve conflitos com Israel.

Depois desses acontecimentos, Deus lhe apareceu e disse: “Anda na Minha presença e sê perfeito…”

Não se pode andar na presença de Deus usando a fé e o coração.
Não se pode ser perfeito sem fé obediente.

Deus foi claro: “Sou o Deus Todo-Poderoso…”
Em outras palavras: Não confie em ninguém, não agrade a ninguém, não escute a ninguém, não duvide, não tenha medo, não use o sentimento! Seja perfeito apenas obedecendo à Minha voz.

Agora ficou mais claro por que, na hora de levar Isaque ao Altar, o silêncio o acompanhou. Não houve consultas, opiniões, não houve medo, não houve dúvidas…

Ele foi perfeito ao caminhar três dias com o sacrifício, sem misturar o sentimento com a fé obediente.

Colaborou: Bispo Ricardo Souza

Fonte: Bispo Macedo