O cristão e a pirataria

Como deve ser a conduta dos que querem agradar a Deus

Você ouve um louvor maravilhoso no culto e, um dia, enquanto passa pela calçada, vê um vendedor ambulante vendendo o CD que tem aquela música, mas percebe que o produto é pirata. Você não resiste, afinal, o louvor é tão lindo. Então, aproveita e leva também uns DVDs de filmes bíblicos.

A situação citada acima é comum para muitos cristãos. E, por mais que alguns justifiquem o ato alegando o menor preço, é preciso que fique claro que pirataria é prevista em lei como crime, com pena que pode chegar a 4 anos de reclusão e multa.

Sabia que o ato de reproduzir totalmente ou parcialmente o trabalho de outra pessoa sem a sua devida autorização e ainda obter lucro direto ou indireto movimenta mais recursos do que o narcotráfico? Pois é, a situação é bastante séria.

“Monitore a sua vida”

Durante mensagem pela Rede Aleluia de rádio, o Bispo Edir Macedo fez um alerta: “Você está sendo desonesto se compactua com a pirataria. Pirataria é roubo, é desonestidade.”

O Bispo destaca que, mesmo que o ato pareça vantajoso em algum momento, a postura daqueles que querem agradar a Deus deve ser diferente da maioria das pessoas. “Não se deixe levar pelo que é errado, pelo que é desonesto. Na Bíblia está escrito que tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Então, você pode ter certeza de que ninguém leva vantagem e proveito com a desonestidade.”

O Bispo faz questão de destacar ainda que a pessoa que compactua com a pirataria está se aliando também ao mal. “Monitore a sua vida, norteie a sua vida na Palavra da verdade, e viva na verdade. Elimine a mentira da sua vida, não adquira nada que seja pirateado, porque você estará compactuando com o próprio diabo ao fazer isso”, adverte.

Compartilhe essa mensagem em suas redes sociais.

Conheça a Universal mais perto de si.

Fonte: universal.org