Experiência de filho

Aconteceu numa sexta-feira, por volta das 10 da noite. A reunião transcorria de forma natural. Apesar de a sala ser grande, ainda assim, as 30 pessoas quase se comprimiam ali.

Avaliando o desempenho dos trabalhos evangelísticos, o pastor Samuel, líder da igreja, me disse:
– É, Edir… Acho que você não tem chamado de Deus. Seu trabalho está muito fraco. Você deveria seguir mesmo no seu trabalho. A partir de amanhã, vou cuidar daquela igreja e você fica apenas com um trabalho especial no Cine Ridan.

Aquelas palavras soaram como uma bomba dentro de mim. Mais uma vez senti a dor da rejeição, desprezo, vergonha e humilhação. Há anos vinha perseguindo o sonho de servir só ao meu Senhor. Mas agora, diante daqueles pastores, auxiliares e obreiros, minha paixão pelas almas estava sendo arrancada violentamente.

Não era pastor, apenas um obreiro sedento. Mesmo assim era respeitado pelos demais.

As palavras do pastor-líder foram tão fortes que ele mesmo ficou sem graça. E logo convocou todos para orar.

Minha dor não estava em perder o trabalho especial que fazia, mas em ser considerado sem condições de ganhar almas. Isso doeu demais.

Profundamente abatido, dobrei os joelhos e me dirigi a Deus, dizendo: “Meu Pai…”

A dor era tão intensa que não sabia o que falar ou pedir. Apenas, repeti a frase: “Meu Pai…”

A partir daí, fui inundado de um gozo imensurável. Como uma fonte jorrando do meu interior, materializava-se em alegria.
Imediatamente comecei a rir. E foi aumentando cada vez mais, a ponto de gargalhar…

Todos interromperam as orações e, perplexos, me olhavam. Queriam saber o motivo daquela alegria. Nunca viram nada igual. Nem eu!

Mas ninguém ousou perguntar, porque sabiam que o Espírito de Deus era O responsável.

Mas o que mais chamou a atenção é que aquele gozo da alma começou quando falei “Meu Pai!…”

Lembro como se tivesse acontecido ontem. Foi como se Ele me tomasse nos braços e dissesse: “Não temas, Eu te escolhi…”

Dois anos mais tarde, nascia a Igreja Universal do Reino de Deus.

Somente quem nasceu do Espírito tem o privilégio de invocar Deus como Pai e receber Sua atenção.

Por favor, leia Isaías 41.9-13 e você entenderá melhor minha experiência com Deus.

Fonte: Bispo Macedo