Doenças, despesas e desemprego são as maiores preocupações dos portugueses

Fonte de Imagem: Adobe Stock

Os portugueses vivem preocupados com ficar doentes ou com uma deficiência, pagar as despesas ou perder o emprego, segundo notícia publicada pela plataforma “notícias ao minuto”

De acordo com os resultados do inquérito “Riscos que Importam”, na tradução para português do relatório da OCDE recentemente divulgado, que inclui as preocupações de 22 mil pessoas, entre os 18 e os 70 anos de 21 países, cerca de metade dos inquiridos apontou “ficar doente ou com uma deficiência” como uma das três principais preocupações sociais ou económicas que os afete a eles ou à família próxima no próximo ano ou dois.

Portugal não é exceção e 63% dos portugueses que responderam a este inquérito apontaram “ficar doente ou com uma deficiência” como a principal preocupação no futuro próximo, sendo um dos três países onde esta preocupação é mais elevada, abaixo da Polónia (64%) e da Finlândia (65%).

A segunda maior preocupação dos portugueses é conseguir fazer face a todas as despesas mensais (44,5%), seguida do receio de perder o emprego (39%), às quais se seguem a preocupação com o crime ou a violência (30,3%), o acesso a cuidados de longa duração (30,15%), habitação (25%), acesso a cuidados infantis ou educação. Há ainda quase 5% de portugueses que diz não ter qualquer uma destas preocupações.

Quando tudo está em falta!

Lídia tinha uma vida muito sofrida em muitas áreas. “Tinha problemas com o meu marido, a minha filha era hiperativa e também problemas na minha saúde. Para além disso, também tinha dificuldades financeiras… e tudo isso punha-me para baixo. Os desentendimentos entre a minha filha e o meu marido eram constantes, tanto que o meu marido chegava a chamar nomes à própria filha… pelo outro lado, a minha filha era hiperativa, respondona, desobediente e, por qualquer motivo, entrava logo em choque.

Também eu tive um problema de saúde, que eram umas bolhas que iniciaram no braço direito e alastraram pelo resto do corpo. Fui várias vezes ao hospital e, de cada vez que eu ia, diziam que era uma coisa diferente. Diagnosticaram-me com sarna, atrite, lúpus, urticária, só sei que tudo era crónico… pois não eram só borbulhas, também tinha falta de forças nos joelhos, estava a perder a visão… na verdade era muita coisa e eu só sei que não me sentia bem de forma nenhuma.  

Conheci a Universal através do meu marido, que ouvia o programa na rádio, porque ele era motorista. Fui com ele, fomos atendidos pelo pastor e a partir daí nunca mais deixei, pois na Universal encontrei o que nunca tinha encontrado em lado nenhum. A minha vida foi totalmente transformada. A minha filha hoje faz parte do FJU e eu fui, completamente, curada do meu problema de saúde! Fui fazer análises e deu tudo negativo. A minha família hoje está bem, o meu marido foi transformado, assim como a minha filha, tudo tenho que agradecer a Deus.”