“Como é que eu faço para a minha vida mudar?”

Crer, orar, colocar em prática e confiar! É a ordem sequencial que proporciona a cada ser humano a transformação da sua vida

Alice é uma mulher com uma atribulada história de vida que aproveitou a oportunidade que lhe foi concedida e hoje assume-se como um novo ser. À semelhança de milhões no mundo, Alice sofreu durante muitos anos de depressão, motivada em grande parte pelos episódios tristes que passou ao longo da vida.

“Casei muito nova e o meu ex-marido tratou-me muito mal. Ele era muito desconfiado e tanto verbal como fisicamente muito agressivo. Porém, na realidade, as palavras acabavam por causar mais dor do que as agressões físicas, nas quais chegou a dar-me pontapés e a bater com a minha cabeça contra a parede. Permaneci 30 anos neste casamento, onde fui traída, e foi depois disso que passei a sofrer de depressão. Ia ao médico, queixava-me e começava logo a chorar, sem sequer conseguir falar.

O médico reencaminhou-me logo para o psiquiatra. Depois de 30 anos de união pensei que ou deixava o meu marido ou teria de ser internada num manicómio, porque eu só chorava de manhã à noite. E só terminei o casamento depois de 30 anos, porque tinha duas filhas e não as queria deixar desamparadas. Foi depois de as duas terem casado que m divorciei tornando-me ainda mais depressiva, pois não conseguia aceitar o fim do meu casamento, já que eu acreditava ser para a vida”.

Alice foi à Universal com o intuito de levar uma pessoa amiga, que estava desenganada pelos médicos. Essa pessoa, infelizmente, não permaneceu, mas ela passou a frequentar, tendo tido um encontro com Deus, o qual veio a transformar a sua vida, acabando com a depressão que ela sentia. Hoje, tanto Alice como o seu marido são felizes e perfeitamente realizados.

“E conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará.” (João 8.32), relembrou o Bispo Domingos Siqueira a mensagem transformadora de vidas que o Senhor Jesus nos deixou, bastando que, para isso, acreditemos e coloquemos em prática. Para isso, o primeiro passo tem que ser o nosso, pois Deus já fez a Sua parte há mais de dois mil anos atrás. O orador também deixou claro que, seja através da garrafa de água, do óleo, ou da saliva da qual que o Próprio Senhor Jesus fez lodo para curar o cego,  é sempre a fé da pessoa que coloca em andamento o milagre. E é isso o necessário para que cada pessoa que se encontra no limite possa sair dessa situação.

Neste ambiente de fervor, o Bispo convidou todos a exercitarem a sua fé através de um clamor intenso, após o qual, certamente, a resposta não se faria esperar.

Posteriormente, o orador mencionou a passagem presente em Apocalipse, capítulo 2, do versículo 2 em diante:

“Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos.
E sofreste, e tens paciência; e trabalhaste pelo Meu Nome, e não te cansaste.
Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.”

Através desta passagem, o Bispo realçou a importância do arrependimento e da conversão para que a Salvação possa ter lugar, o qual deve ser o objetivo último e principal de cada ser humano.

Galeria de Fotos

2019-02-19T14:35:15+01:00
Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Aceitar