A Ciência afirma: a pornografia pode te deixar com disfunção erétil

Entenda os perigos que o conteúdo erótico pode causar em sua vida

O consumo de pornografia pode estar ligado à disfunção erétil em jovens. A afirmação é de especialistas. De acordo com estudos, 35% dos homens com menos de 40 anos apresentam disfunção erétil. É importante ressaltar que, anteriormente, o número não passava de 3%.

Cada vez mais cedo há o contato com esse tipo de conteúdo. Um estudo feito pela Universidade de Middlesex, na Inglaterra, apontou que 94% dos adolescentes de 14 anos já viram pornografia online. Além disso, 60% deles acessaram o conteúdo pela primeira vez dentro de sua própria casa. O que aumenta as chances do processo de masturbação entre os jovens.

A pornografia, que é facilmente encontrada nas redes, faz com que jovens também tenham problemas de disfunção erétil. “Eu agora tenho clientes com disfunção erétil que ainda estão no início dos seus 20 anos”, relatou a terapeuta psicossexual, Clare Faulkner, em entrevista ao The Guardian.

O problema em ser exposto à pornografia é que jovens não conseguem mais desenvolver relações amorosas na vida real. Isso porque eles passam a ter a pornografia como referência sexual. No entanto, as cenas apresentadas em conteúdo pornográfico não passam de encenação que fogem da realidade.

Além disso, o conteúdo pode, facilmente, causar comportamentos parecidos com os de um viciado em drogas e álcool. Isso quer dizer que, à medida que uma pessoa é exposta à pornografia, mais ela deseja ter contato.

“Eles estão usando isso o tempo todo e ninguém está dizendo que isso é um problema. Quando pesquisadores estudam o cérebro de usuários compulsivos de pornografia, eles notam as mesmas mudanças cerebrais comuns a todos os vícios”, declarou Mary Sharpe, da Fundação Reward, no Reino Unido.

O problema é mundial. No Brasil, por exemplo, 22 milhões de brasileiros assumem consumir pornografia. Destes, a maioria (76%) é composta por homens e 58% têm menos de 35 anos. 69% deles são casados ou estão namorando. Os dados são de um estudo realizado, ano passado, pelo Quantas Pesquisas e Estudos.

Frustrações e outros problemas

O apresentador do programa The Love School- A Escola do Amor,  Renato Cardoso, alerta que ter acesso à pornografia causa frustrações no parceiro. “Se a pessoa é viciada quando ainda é solteira, ela vai ser viciada quando casada. E a grande frustração é que o parceiro nunca se sente suficiente. O problema é de quem assiste pornografia, mas quem se sente mal é o outro. Não há como ninguém competir com a pornografia, porque isso é um mundo falso, é um mundo de fantasia”, disse.

Ainda de acordo com ele, que é especialista em educação familiar e matrimonial, utilizar pornografia para “apimentar” a relação também não passa de um ledo engano. “Pornografia não é sexo. Casal que assiste pornografia para tentar apimentar a relação, no fim, fica frustrado, porque está tentando ‘apimentar’ com algo que nunca vai conseguir atingir”, destacou Renato.

Em outra ocasião, Renato ainda alertou: “Se você quer estragar o futuro de sua vida sexual, então mergulhe na pornografia, mas se você deseja ter uma vida sexual realmente satisfatória, então, fuja dela!”.

Terapia do Amor

Caso queira aprender mais sobre a vida amorosa e como conduzi-la de maneira inteligente, participe, nesta quinta-feira, da Terapia do Amor.

Participe, também, do “Jejum de Daniel”

Entre os dias 19 de maio e 9 de junho, acontecerá o propósito “Jejum de Daniel” para o avivamento do Espírito Santo. O encerramento será no dia de Pentecostes com o derramamento do Espírito Santo, direto do Cenáculo de Jerusalém. Se você deseja esse avivamento espiritual, participe dos encontros que acontecerão no domingo próximo, no Templo Maior ou em uma Universal mais próxima de sua casa.

Fonte: Universal

Artigos Relacionados

Ler Mais Artigos

Terapia do Amor

The Love School

Casamento Blindado

Namoro Blindado

2019-05-17T10:08:38+01:00
Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Aceitar