309 milhões de cristãos vivem em lugares com níveis de perseguição altos ou extremos

Um em cada seis cristãos é alvo de perseguições, no continente africano. Já na Ásia, dois, em cada cinco, enfrentam diariamente essa realidade.

É o que relata o último relatório anual da missão Portas Abertas, sobre os países em que os cristãos são mais perseguidos por seguir a Jesus. 12 dos 50 países que compõem a lista têm níveis “extremos” de perseguição.

Os restantes 38, níveis “muito altos”. O islamismo predomina como religião principal em 34 deles, seguido do budismo, em quatro, e o hinduísmo, com dois. Apenas um destes países segue o ateísmo, em igual número, o agnosticismo. Dez deles têm como religião principal o cristianismo.

AS PERSEGUIÇÕES

Acontecem das mais variadas formas, institucionalizadas ou não, mas, na sua maioria passam por opressões de regimes políticos, e outras religiões, protecionismo denominacional, paranoia ditatorial, nacionalismo religioso, intolerância secular.

Isto significa que, em alguns países os cristãos não podem compartilhar a fé livremente em público. Se o fizerem, enfrentam consequências legais, e, por vezes, a violência de alguns grupos radicais.

Fonte: portasabertas.org.br